Formação de docentes em nível de Doutorado para universidades da região norte:

 

Diversas universidades situadas ao longo da região Norte possuem uma parcela limitada de docentes com titulação de Doutor. Essa situação se dá em virtude de dificuldades logísticas e de custos de envolvidos na formação de Doutores nos grandes centros situados em outras regiões do país, incluindo os próprios Campus Avançado da UFPA que estão presentes no interior do estado do Pará. Diante desse contexto, o PRODERNA em conjunto com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e o Campus Universitário de Tucuruí (CAMTUC/UFPA), tem constituído turmas específicas para atender a professores da UEA e do CAMTUC. A iniciativa já contribuiu com a titulação de 11 doutores e está sob a coordenação dos docentes Emanuel Negrão Macêdo e José Antonio da Silva Souza, que contam com a participação de todo o quadro docente do Programa e de mais 20 discentes. Esta ação recebe incentivo por parte dos professores da UEA, da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPA, da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

 

 

Tecnologia Cidadã: um programa baseado em TIC para transformações sociais através da extensão universitária:

  

As Tecnologias de Comunicação e Informação (TIC) permitem obter transformações radicais na sociedade, desde que sejam dominadas e usadas adequadamente. O programa “Tecnologia Cidadã” proposto está alinhado com as ações extensionistas da Universidade Federal do Pará (UFPA) e, em especial, de sua Faculdade de Engenharia da Computação, cujo projeto pedagógico foi reformulado em 2010 para contemplar a indissolubilidade do ensino, pesquisa e extensão. O programa utiliza tecnologias do estado da arte em reconhecimento e síntese de voz desenvolvidas na UFPA para transformar a realidade de portadores de necessidades especiais no que diz respeito ao uso de computador. O programa também investe no processo de inclusão social por meio da inclusão digital. As ações desenvolvidas no âmbito do projeto consistem na realização de treinamentos presenciais em infocentros e não presenciais, por meio da utilização da plataforma Moodle, e a ação de entidades de reconhecido impacto social como o Movimento República de Emaús e Associação do Voluntariado de Apoio à Oncologia (AVAO). Iniciado em 2010, o projeto conta com o suporte do Ministério das Comunicações.